A prova de estrada do Campeonato da Europa de Juniores e Sub-23 vai ter lugar em Anadia, entre os dias 7 e 10 de julho. Os percursos tanto da prova de fundo como do contrarrelógio poderão ser propícios a algumas surpresas.

A estrada será a segunda vertente a entrar em competição, nos Campeonatos da Europa de Juniores e Sub-23, que vão acontecer em Anadia durante os meses de junho e julho. Nestes quatro dias de competição serão 10 os títulos em disputa: quatro nas provas de fundo, quatro nos contrarrelógios individuais e dois no contrarrelógio misto.

Depois do BTT, os corredores de estrada vão entrar em competição no dia 7 de julho, com as provas de contrarrelógio individual, que terão partida e chegada junto ao Centro de Alto Rendimento, na freguesia de Sangalhos, em Anadia. Os primeiros a entrar em prova serão os juniores, com o setor feminino a correr entre as 10h00 e as 11h00, seguidas do setor masculino, entre as 11h00 e as 12h30. À tarde será a vez dos atletas sub-23, com as femininas a competirem entre as 15h00 e as 16h00 e os masculinos entre as 16h00 e as 17h25.

Num percurso em estradas portuguesas, ninguém melhor do que o selecionador nacional de estrada, José Poeira, para desvendar os segredos deste percurso que terá 22 quilómetros tanto para juniores como para sub-23, nos setores masculino e feminino.

Este é um contrarrelógio com uma distância considerável. Para juniores pode até dizer-se que é um contrarrelógio relativamente longo. O percurso tem um início mais duro e com algumas subidas, seguido de algumas zonas de falsos planos, propícias a terem vento de frente ou de lado. Esta questão meteorológica é importante, pois caso esteja um dia ventoso, poderá influenciar bastante em algumas partes do percurso, trazendo uma dificuldade acrescida. O contrarrelógio tem outra parte bastante técnica, na qual os corredores passam pelo meio das casas, com um pequeno topo na parte final. Vai ser importante gerir bem este percurso, fazendo um bom aquecimento de forma a arrancar logo da melhor forma possível. Esta fase inicial é muito importante e é necessária máxima atenção por parte dos corredores, pois será uma das partes mais difíceis do percurso. É um percurso muito bonito e bem desenhado. Vai ser um grande dia”, afirma José Poeira, destacando ainda que este percurso será adequado a um corredor que tenha facilidade em passar estas pequenas subidas.

No dia 8 de julho teremos uma novidade em Campeonatos da Europa de juniores e sub23, pois será a primeira vez que o contrarrelógio misto se realizará nestas categorias. O percurso terá 44 quilómetros, o dobro da distância do contrarrelógio individual. Este aumento da distância deve-se ao facto de primeiro correrem os dois rapazes de cada nação, cumprindo 22 quilómetros, fazendo depois a rendição à passagem pela meta para que as duas raparigas da sua equipa possam completar também os mesmos 22 quilómetros. Nesta prova, a categoria de juniores irá competir entre as 10h00 e as 11h00 e os sub-23 entre as 11h30 e as 12h30.

Chegado o fim de semana será altura de se realizarem as provas de fundo, num percurso feito em circuito, com partida e chegada junto ao Complexo Desportivo da cidade de Anadia. No sábado, dia 9 de julho, serão os juniores a entrar em prova. As femininas vão percorrer 83,1 quilómetros, correspondentes a quatro voltas ao circuito, entre as 10h00 e as 12h30. O setor masculino estará em competição entre as 14h00 e as 17h10, completando seis voltas ao circuito, correspondentes a 125,9 quilómetros. No domingo, dia 10 de julho será altura de os sub-23 encerrarem os Campeonatos da Europa de Estrada. As corredoras sub-23 vão ter de completar cinco voltas ao circuito, totalizando 104,5 quilómetros. Já os sub-23 masculinos terão pela frente sete voltas ao circuito, num total de 143,3 quilómetros.

Nesta prova de fundo, o selecionador nacional, José Poeira, destaca os pontos mais importantes do circuito. “Este percurso não tem subidas muito complicadas, mas há alguns pontos a ter em atenção. Dentro de Anadia há uma subida a quatro quilómetros da meta que, volta após volta, acabará por trazer alguma dificuldade. No final, a reta da meta é a subir, com uma inclinação de 5%, mais ou menos. Penso que, todo o percurso, com as várias passagens acabará por ir trazendo alguma dificuldade aos corredores, principalmente as várias passagens na subida mais longa que vamos ter, que é no Monte Castro”, ressalvou José Poeira, destacando ainda que neste ponto poderá decidir-se a corrida.

Na última volta, se esse topo for bem atacado pode deixar logo um grupo mais restrito na frente. Nessa fase, a corrida vai de certeza mexida e endurecida e quem ficar nesse pequeno grupo irá discutir os primeiros lugares. Este é um percurso para corredores que rolam bem e passam bem nas subidas, corredores com alguma potência. Não é propriamente para trepadores, pois não tem nenhuma subida demasiado dura”.

Como é percetível através desta explicação, tanto o contrarrelógio como a prova de fundo, principalmente esta última, serão competições bastante abertas, em que quase qualquer tipo de corredor poderá ser bem-sucedido. No ano passado, foram a Itália, com cinco medalhas, duas delas de ouro, e a França, também com cinco medalhas, uma delas de ouro as nações a obter melhores resultados nos Campeonatos da Europa de Juniores e Sub-23. Com uma corrida que se prevê aberta, teremos certamente muitas surpresas em Anadia.

Para mais informações sobre o Campeonato da Europa de Estrada clique aqui.

©2022 UEC JUNIORS & U23 EUROPEAN CHAMPIONSHIP

Log in with your credentials

Forgot your details?